.

.

terça-feira, 27 de abril de 2010

O SERIADO - VIAGEM AO FUNDO DO MAR

Esta série marcou minha infância e a de muitas crianças no início da década de 70. “VIAGEM AO FUNDO DO MAR”, (Voyage to the Botton of the Sea) este foi o nome que a série recebeu aqui no Brasil. Foi exibida originalmente nos Estados Unidos entre 1964 a 1968. Num total de 110 episódios, dos quais 32 foram produzidos em preto e branco (1964-1965) e os outros 78 restantes, coloridos. No Brasil, foi apresentada no início dos anos 70 pela saudosa TV Tupi. Somente depois é que passou a ser exibida por outras emissoras.
A série contava a história de um submarino futurístico, atômico e nuclear (algo ultramegamoderno para época) conhecido como Seaview. Havia sido construído (a princípio) para ser um submarino de investigação marinha. No qual iria se desvendar os mistérios das profundezas oceânicas. Mas por se tratar de um projeto americano, acabou sendo requisitado – também - para fazer missões secretas de interesses militares. Algo assim: Combater as “forças subversivas” que ameaçavam a paz mundial. Sei...
E os enredos estavam quase que “declaradamente” ligados a Guerra Fria e seus conflitos. Como eu era uma criança alienada na época, nem percebia que os chamados “impérios hostis” e “os monstros do mar”, presentes nos episódios, eram nada mais nada menos que a URSS e seu exército vermelho... Epa! Parou. Pois se eu continuar criticando a ideologia persecutória americana vou looooonge meu bem. E termino por esquecer de falar do seriado. Rs!
Eu adorava aquelas histórias “exageradas” de perigo nos oceanos. Um monte de mentiras! Mas eu não queria nem saber.... Vibrava todos os dias com o que via em preto e branco na telinha. E que ninguém me pertubasse na hora do seriado, senão...
O sub-voador era um mini-submarino bem bonitinho... Todo amarelo onde cabiam apenas duas pessoas. Sua maior característica era de poder estar tanto nas profundezas do mar, quanto na imensidão dos céus. A gurizada vibrava quando aquele mini-submarino saia de uma fenda que se abria por baixo do Seaview. Era o máximo.
Os episódios da série mostravam tramas – deliciosamente – absurdas. Enredos que beiravam o bizarro de tão inacreditáveis que eram. E todas as semanas contavam-se as aventuras do Seaview, e de tudo o que acontecia durante suas missões. E nessas viagens apareciam de tudo mesmo! Desde monstros terríveis, sereias, alienígenas, terroristas, lobisomens e criaturas gigantescas.
O Submarino Seaview foi construído na Filadélfia, numa base secreta de investigação marinha conhecida como N.I.M.R (Nelson´s Institute for Marine Research). O projetista e construtor do submarino foi o Almirante Harriman Nelson, que por sinal era o dono do Instituto de Pesquisas Marinhas. Nas nossas brincadeiras, o meu irmão Camilo também tinha seu próprio Centro de Produção e Pesquisas. Ele chegou a projetar e construir as maquetes tanto do Seaview, como do sub-voador.Todas eram confeccionadas com papel e cola.
A bordo do “Seaview” estava uma tripulação formada pelo Almirante Nelson, Capitão Lee, Chip Morton, Chefe Sharkey, Kowalski, Patterson, Stu Riley, Sparks entre outros... E todos os meninos da época sonhavam em “ser” os personagens da série e fazer parte da tripulação do submarino. Eu mesmo adorava - na época - a idéia de morar no fundo do mar. E por diversas vezes planejei fugir de casa e ir morar no Seaview. Só não sabia como! Mas que essa idéia passou na minha cabeça, ah! Isso passou...
Assistíamos ao seriado e logo depois, no finalzinho da tarde, brincávamos de “Viagem ao Fundo mar” no quintal de casa... No começo era a maior briga para definir quem era quem. Um dizia logo: “Eu sou o Capitão Lee.” O outro decretava: “E eu, o Almirante Nelson!”... E assim a tripulação “fake” do Seaview ia se definindo. Eu como era o único gordinho da turma e não me parecia com nenhum dos personagens. Já gritava logo: “Eu quero ser todos os monstros do fundo do mar!”... E assim ficava definida a tripulação: Meu irmão Camilo (General Nelson); Edvan (Capitão Lee); Evanaldo (Chefe Sharkey); Alcides (Kowalski); Auriberto (Patterson)... E eu, tudo que era monstrengo, assombração, alma, duendes e terroristas. Saudades...
Foi na segunda temporada que se viu a mudança do preto e branco para o colorido, assim como a substituição permanente do “Chefe Curley Jones”**, devido a morte do ator Henry Kulky que interpretava o personagem. Quem o substituiu foi o Chefe Sharkey interpretado por Terry Becker. O Chefe Sharkey era um sujeito "turrão", bravo e com cara de chaaaato. Mas sempre foi o meu preferido! É que na minha fantasia de menino, ele era a cara do meu tio Geraldo...
Alguns autores e fãs do seriado afirmam que Irwin Allen (produtor da série) sugeriu aos diretores da então 20th Century Fox, a substituição da série por uma outra chamada “Terra de Gigantes” que ainda se encontrava em pré-produção. A proposta foi aceita e a “Viagem ao Fundo do Mar” foi encerrada... Afundou de vez! Ficando apenas nas profundezas do mar das nossas lembranças...
 Almirante Harriman Nelson (Richard Basehart); Capitão Lee Crane (David Hedison);
Chefe Francis E. Sharkey -1965-68- (Terry Becker); Oficial Chip Morton (Robert Dowdell); 
Marujo Kowalski (Del Monroe); Marujo Patterson (Paul Trinka);
Marujo Sparks (Arch Whiting); Chefe Curley Jones -1964/65** - (Henry Kulky);
 Marujo Clark -1964/65 –(Paul Carr); Marujo Stuart Riley -1965-67- (Allan Hunt);
Marujo Malone –1964 -(Mark Slade); Doutor Andrews (Richard Bull);

7 comentários:

Robson Schneider disse...

lycirO meu preferido dessa leva de seriados da época, sem dúvidas era o "Tunel do tempo".Aliás, empatado com o "Perdidos no espaço"... tudo de bom!
Abração Dhotta

Lua Albus disse...

Hihi, no meu tempo, a gente brincava de personagem de novela mexicana! que coisa assustadora! HSUIAHDUISAHUDISHAUIHDISUAHDIUSAHIUDHASIUHDISAHDIUHSAUIDH

Pati Araújo disse...

Oi Dhotta, bom dia!!!

Adoro séries, e passei essa mania pra Lua. Aqui em casa é sagrado assistir CSI, de segunda a sexta à noite, acontece mais ou menos assim: o telefone toca, uma olha para outra e...quem tiver mais perto do telefone...não atende! tira da tomada kkkkkk E a pergunta é: quem será essa criatura que está atrapalhando nosso momento detetive? *rs*
Enfim, doidices de mãe e filha.
Fico tentando imaginar vc de monstrengo, dei muita risada nessa parte. Ótimo!!!
Uma delícia lembrar de momentos da infância, uma viagem no tempo...e vc como piloto dessa aeronave, ou devo dizer submarino *rs*, nos leva de forma encantadora.

Beijos!!!

Cris disse...

Lembro-me do rosto dos atores desse seriado.
Provavelmente a TV ficava ligada e eu, entre uma brincadeira e outra, fixei a fisionomia de cada um.
Segundo minha mãe, eu não trocava nada por uma brincadeira com minha irmã ou a turma que cresci....rs

beijos

fredbarnney disse...

Caramba como é bom a gente ter a net pra voltar ao tempo e ver o quanto era bacana a minha infância, "perdidos no espaço", "jeanie é um gênio" tbm marcaram muito a década de 70, vlw...

Rose disse...

SÓ UMA PEQUENA CORREÇÃO: NA FOTO DO
RILEY E DO PATERSON.AS LEGENDAS FORAM INVERTIDAS.
UM ABRAÇO.

Vera Falcão disse...

Assistia também na minha infância e era apaixonada pelo Capitão Lee Crane! hahahaha Muito bom o blog, já estou seguindo!