.

.

sábado, 7 de setembro de 2013

BIOTONICO FONTOURA - BÊ, Á, BÁ. BÊ, E, BÉ. BÊ, I, BI...OTONICO FONTOURAAA!!

O Biotonico Fontoura - juntamente com o Emulsão de Scott, o Calcigenol, o Leite de Magnésia Philips e o Bromil - é o tipo do remédio que ao passar por nossas vidas deixa um gosto amargo ou um gosto de quero mais... Nossa memória afetivo/gustativa tanto registra na nossa "cachola" quanto facilita o resgate desse tipo experiência. Eu particularmente adorava o Biotonico Fontoura e odiava o Calcigenol, o Leite de Magnésia Philips e o Emulsão de Scott.  Querendo ou não, esses fortificantes fazem parte da minha (da nossa!) infância. 
Hoje eu até entendo porque o Biotonico Fontoura era o meu preferido. Ele era o inverso dos demais... Enquanto o Emulsão tinha um desprezível gosto de óleo de fígado de bacalhau, o Calcigenol e o Leite de Magnésia Philips tinham gosto de barro, o Biotonico Fontoura tinha gosto de cachaça adocicada, aguardente, pinga. Sim, o Biotonico, assim como o Sadol, entre outros xaropes da época, tinha álcool em sua composição. A fórmula original do Biotonico Fontoura continha 19,5% de álcool etílico; em 2001 a Anvisa proibiu álcool em formulações destinadas às crianças, nesta época o produto continha 9,5% de álcool etílico. Hoje o Biotonico contém em sua composição apenas “sulfato ferroso, acido fosfórico, extratos de plantas tônicas, aromáticas e eupepticas” (tá no site, tá!). Eu como sempre fui fraco pra bebidas, certamente ficava meio “bebim” e comia tudo que minha mãe colocava no prato na expectativa de beber mais Biotonico Fontoura no outro dia... Sério mesmo! Eu achava uma delícia. Aquele gostinho que ficava na boca... hummm!  Não queria nem saber se continha ferro e sei lá mais o que, eu só sei que eu tomava uma colher de sopa bem cheia antes das refeições e, às vezes, muitos goles escondido. Se algumas ex-criancinhas “sem noção” que conheço hoje, naquela época, tivessem descoberto o porquê daquele gostinho... Imaginem!!!! Com duas pedrinhas de gelo e umas folhinhas de hortelã fariam a festa... KKKKKKKKKKKK. Quem vê? Diz que bebo, né?
Contam os mais entendidos no assunto que Cândido Fontoura, em 1910, fundou em São Paulo uma fábrica para a produção de um fortificante que ele já havia criado para poder tratar de sua digníssima esposa, que então se encontrava doente... Daí ele pretendia fabricar um fortificante de ótima qualidade para concorrer com o Emulsão de Scott e com o Elixir Nogueira, que eram os medicamentos “bambambans” do momento. 
E num é que o danado do Fontoura conseguiu... O Biotonico fez e continua fazendo sucesso até hoje.  É um fortificante e antianêmico que contém na sua fórmula atual: sulfato ferroso e ácido fosfórico. E dizem... Nada mais de álcool.
Dizem ainda que o nome Biotonico Fontoura foi dado por Monteiro Lobato, pai do "Visconde de Sabugosa" e amigo particular do então farmacêutico Fontoura.
É que ambos trabalhavam no mesmo jornal - O Estado de S. Paulo - e Monteiro Lobato sentia-se muito fatigado, cansado e exausto com "As Travessuras da Emília..." Foi quando Fontoura indicou o medicamento ao amigo e este logo se sentiu mais animado para escrever as "Reinações de Narizinho..." RS!
Meu tio, na época, costumava tomar o Biotonico Fontoura batido com 02 ovos de pata e creme de leite. Ela ia bebendo um ou dois cálices diariamente para ter mais robustez. Aqui pra nós, eu acho que ele exagerava nas doses devido ao álcool contido na sua fórmula. Vai saber...
Propaganda da década de 40.
Durante muito tempo, o Biotonico Fontoura, recomendado para o tratamento da anemia verminótica, foi um remédio super mega popular. Primeiro, porque era eficaz mesmo. E segundo, porque foi promovido aos quatro cantos do país por nada mais nada menos que Monteiro Lobato. O personagem que ele criou para isso, Jeca Tatu – uma espécie de Macunaíma ao contrário, um caboclo exaurido pela doença –, tornou-se imensamente popular. Jeca Tatu era um símbolo do Brasil – de um Brasil pobre, do Brasil doente. E esse Brasil pobre, esse Brasil doente via no Biotonico Fontoura a cura para seus males.
“Biotonico Fontoura dá fome de leão”, dizia mais uma de tantas campanhas publicitárias do fortificante produzido à base de sulfato ferroso, ácido fosfórico e extrato vegetais.
O Biotonico Fontoura foi usado por décadas com a finalidade de melhorar ou aumentar o apetite das crianças.
Biotonico Fontoura! Bom para toda a família...
Biotonico Fontoura! Bom para todas as idades...
Diziam também na época, que o principal produto do Laboratório Fontoura, o Biotonico, lógico! Passou a fazer parte do imaginário popular, com fatos como a incrível exportação do então “ex-remédio” popular brasileiro para os Estados Unidos da America em pleno anos 20, período que a Lei Seca imperava por lá. E como tudo era proibido – a fabricação e a comercialização de bebidas alcoólicas - o Biotonico Fontoura exportado teria feito muito sucesso na terra do Tio Sam. É que o tônico com seu teor de álcool, quando um pouco gelado, podia passar por um agradável vinho do Porto. Simples assim... É o que diziam!
Propaganda anos 30.
Propaganda anos 40.
Propaganda anos 40.
E os Almanaques de Farmácia?  O Biotonico Fontoura não podia ficar fora dessa. Também lançou o seu: Almanaque do Biotonico. O almanaque divulgava o laboratório e pregava uma campanha contra a ancilostomose através do personagem Jeca Tatu.
Almanaque nos anos 50.
Almanaque nos anos 60. Quando fez cinquenta anos...
Quem se lembra do slogan do produto...  “É Ferro para o sangue e fósforo para os músculos e nervos” e seu Jingle dizia mais ou menos assim: Bê, á, bá. Bê, e, bé. Bê, i, Bi...otonico Fontouraaaaaaaa! Saudades de quando eu entoava esse Jingle.
Pelé foi um garoto propaganda do medicamento.
Olhai o Pelé tomando sua "lapadinha" diária de Biotonico.
Propaganda dos anos 60.
No ano de 2010 o Biotonico Fontoura completou 100 anos e entrou para a lista dos medicamentos mais antigos – ainda - em circulação no Brasil.
E não foi só o Pelé que foi garoto propaganda do remédio não, a Xuxa também!
O Biotonico continua na prateleira da história, junto com tantos outros medicamentos, que como ele , se tornou centenário e que hoje olha saudoso para o país que um dia tanto o reverenciou.

3 comentários:

✿ chica disse...

Adorei ver esses rótulos todos desse remédio que era obrigada a tomar à força,rsrs abraço,chica

J.F. disse...

Dhota, bom demais! Quantas lembranças! Tomei muito Biotônico, assim como o Calcigenol (antes, só "irradiado" - sei lá o que era isso, depois, "irradiado e concentrado) e o Emulsão de Scott. Beleza pura essa volta à infância. Interessante a foto do Almanaque dos anos 50, com a contracapa de propaganda do Detefon, outra grande marca do Grupo Fontoura, juntamente com o Kolinos. Até hoje, nas farmácias, o Biotônico é mantido em lugar visível e ainda deve vender bastante. Pena que não contenha mais o álcool, pois essa sua ideia de umas pedrinhas de gelo e umas folhinhas de hortelã é muito boa.
Abração.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Este é do meu tempo mesmo ... tomei [ui] muito dele ... rs ... e ainda pedia mais ... me lembro sempre dos comentários de Mamys e Tias ... "Vc era uma gracinha falando DIOTÔNICO DETONTOLA"! kkkk