.

.

domingo, 17 de julho de 2011

OS POSTOS ESSO E SEUS MASCOTES: O CASAL GASOLINO E O TIGRÃO DA ESSO.

Se você tem uma quilometragem igual ou superior a minha, certamente irá lembrar da Gotinha da Esso. A tal gotinha foi um “mascote” super simpático adotado pelos postos de Gasolina Esso, e que na época, fez o maior sucesso. O personagem simbolizado por uma gotinha de gasolina (ou seria uma gotinha de óleo?) chegou ao Brasil no início da década de 50. Daí começou a aparecer em revistas, e principalmente, nos inesquecíveis comerciais da Esso na TV. A empatia do personagem junto ao público foi tão grande que o consumidor exigiu uma namoradinha para ele...
...Então a gotinha da Esso não perdeu tempo e tratou de arranjar uma companheira. Sua namorada possuía um corpo cheio de curvas e um lacinho de fita no cabelo. E assim nasceu o casalzinho mais famoso da mídia impressa e televisiva: O Casal Gasolino, ou simplesmente, as Gotinhas da Esso.
Eles usavam um macacão todo branco com a marca Esso estampada. Sempre juntinhos, passavam a idéia de um casal mega feliz. Nas revistas, propagandas e comercias de TV, apareciam trocando afagos e carinhos. Ela encostava a cabecinha (ou melhor, a gotinha) no ombro dele e iam passear de lambreta por aí... E mais, dançavam um sambinha rasgado pra ninguém botar defeito. Verdade! Com direito à perna entre pernas e um tremendo bate coxa. O clima era de total sedução meu bem... E foi dessa forma que o Casal Gasolino ajudou a Esso a conquistar a liderança no mercado brasileiro.
As encantadoras e simpáticas gotinhas, além dos reclames, anúncios e animações para TV, viraram também “souvenires” e brindes promocionais. E como toda criança é igual em  qualquer época e lugar, enlouqueciam pelos brindes e as promoções. Praticamente obrigava os pais a pararem nos postos Esso para trocar o óleo, colocar gasolina, limpar o para brisa... Tudo isso só para ganhar bonequinhos, chaveiros, revistinhas e adesivos (para se colocar nos vidros dos carros). Enfim, as Gotinhas da Esso foram verdadeiras celebridades. Mas como toda celebridade um dia acaba no ostracismo, perde a fama e some. Elas também sumiram... Acho que a culpa foi do outro mascote da Esso: O Tigre! Eu particularmente acho que o Casal Gasolino montou na sua lambretinha e fugiu com medo do Tigre. Vai saber???
Bonequinho dos anos 50.
O Casal Gasolino !  Hoje em dia essas gotinhas da Esso são disputadíssimas por colecionadores.
Um antigo Chaveiro da década de 60.
Certa vez eu e meu irmão ganhamos "UM" posto Esso de brinquedo... A coitada da minha tia passou meses juntando cupons para trocar por esse posto. E já imaginaram né...  Briga na certa!  Quem já viu dar "UM" unico brinquedo para ser dividido para duas crianças. Principalmente se essa criança teve  ou tem um irmão igual ao Marcos Dhotta. Aí, meu bem... Vai prestar não!
Caminhãozinho (tanque) de brinquedo dos postos Esso em plena década de 70.

E os calendários de bolso? Todo ano era largamente distribuído pelos postos Esso.  
Então caríssimos/as... Como este espaço se dedica ao resgate de tudo aquilo que fica daquilo que não ficou. É com bastante pesar que afirmo: A famosa marca “Esso”, presente em vários postos de gasolina espalhados pelo Brasil a fora, está com os dias contados. É isso mesmo! A Esso vai desaparecer do mercado nacional. Não me perguntem quais os reais motivos dessa “barbárie” por que eu não sei. Apenas li que tem algo a ver com essas “fusões empresariais” e seus acordos multifacetados. Mas enfim, o fato é que os postos Esso deixarão de existir até meados de agosto de 2012 e que a rede Esso passará a usar a bandeira da Shell. Eu acho tudo isso muito engraçado, sabe? Pois jamais imaginei que os postos Esso - algum dia - iriam se unir aos postos Shell. Passei toda a minha infância rivalizando com meu irmão por causa desses postos e agora virou tudo uma coisa só. Eu era fã incondicional do Elefantinho da Shell e meu irmão era fascinado pelo Tigre da Esso... Portanto, nem queiram imaginar o tamanho da briga na hora de por gasolina no carro da família.
A marca ESSO chegou ao Brasil no ano de 1912. Ela foi desbravadora no que diz respeito à distribuição de produtos de petróleo, como a gasolina e o querosene, comercializados em tambores e latas. A Esso deixou muito bem marcada sua trajetória aqui no Brasil. Entre tantas outras iniciativas pioneiras, tivemos: a instalação das primeiras bombas de rua; a construção do primeiro vagão-tanque e do primeiro caminhão-tanque do país. Mas nem tudo foi tão lindo assim, sabe. Essa estória de gotinhas da Esso pra cá, Tigres da Esso pra lá e coisas e tal... Huuuum! Lembro que na década de 70 os postos de gasolina faziam parte de um controle de racionamento. Verdade! Combustível era caso de segurança nacional meu bem... Coisas dos Generais e seu regime “côco”. O governo mandava em tudo: definia o preço da gasolina, a quantidade a ser vendida e até o horário de funcionamento dos postos (só funcionavam até a meia noite da sexta feira)... Um inferno! E eu criança, sempre escutava falar que a culpa era de um tal de Arafat, que morava lá pras bandas das Arábias... Mas como sempre, os brasileiros davam um jeitinho de passar a perna nos Generais. Meu pai, por exemplo, estocava gasolina na mercearia para vender. Enchia os garrafões secos de vinho que sobravam da semana santa e negociava clandestinamente. Bem feito!
Eu sempre pensei que o Tigre da Esso tivesse colocado o Casal Gasolino pra correr. E somente depois, tinha se tornado o grande mascote da Esso. “Ledo engano” meu bem... O famoso Tigrão da marca ESSO surgiu no começo do século, por volta de 1900, lá pras bandas da Noruega. O problema é que o personagem símbolo da marca Esso atravessou duas Guerras Mundiais e – conseqüentemente - teve que sair de cena. Somente em meados da década de 50 é que o Tigrão da Esso reaparece na mídia.
No início da década de 60 o tigre se tornaria extremamente afamado, símbolo de potência, força e velocidade. Com essas características o Tigre reforçava o famoso slogan da época: "Ponha um Tigre no seu carro".  
O Tigre foi transformado em desenho animado e ganhou o mundo, sendo estampado em tudo que levasse a marca ESSO.
Este era mais um dos tantos brindes que recebiamos ao encher o tanque nos postos Esso.
No ano de 1975, as propagandas em revistas e jornais, e principalmente, nos comerciais de televisão, passaram a utilizar um tigre de verdade.
Até hoje os tigres infláveis ocupam os postos de serviço da rede.
Enfim, lá se foi a Esso. É mais uma marca que ficará na nossa lembrança... Deixou para sempre registros importantes na memória dos Brasileiros: Além dos mascotes (Casal Gasolino e o Tigrão), deixa o formato de um noticiário que se tornou padrão no Brasil - O Repórter Esso - Primeiro tele-jornal como ponto de referência da televisão brasileira. E mais, instituiu no Brasil o “Prêmio Esso de Jornalismo”, que já possui mais de cinqüenta anos de existência. Pois é, agora nos tornamos AS TESTEMUNHAS OCULARES DA HISTÓRIA vendo o fim da ESSO... E breve farei um post sobre o “Repórter Esso”.

14 comentários:

Paulo Braccini - Bratz disse...

Gente! quase chorei de emoção lendo isto ... qtas vezes assisti no Repórter Esso na TV, saudades das GOTINHAS da ESSO ... eu tive um postinho destes com miniaturas, tive chaveirinho ... OMG ... o tempo passa e como passa ... adorável relembrar ...

Cristiane disse...

Oi Marcos, que bacana sua lembrança!!!
Gosto muito de passar aqui para prestigiar seu talendo de resgatar coisas boas que estão cada vez mais distantes....
Eu também me lembro do casal gasolino, mais o tigrão fez mais parte de minha infância!!
Beijão pra você e Parabéns....
Cris....

Néia Lambert disse...

O texto me fez entrar no túnel do tempo, tantas lembranças de uma infância gostosa, ambições nada mesquinhas. Uma época em que a gasolina tinha um cheiro bom, era pura!
Uma pena que a Esso esteja chegando ao fim, uma marca que vai ficar para sempre na memória de todos que já estão na casa dos "enta".

Um abraço

Paulo Patriota disse...

Dhotta,querido amigo:

És um fenômeno de gente. Nos retalhos de tuas postagens vão juntando-se um lençol do que foi e não é mais. Tão de fortuna nas cifras da nostalgia.

Eu também tive um postinho igual ao da imagem,me foi dado por Titio Agenor quando de férias do Rio em Itapetim. Jamais vou esquecer.

Quanto à bandeira Esso,me é muito cara,as razões são óbvias. E como tenho saudade do saudoso Posto de Seu Diógenes.

Obrigado,amigão,por me trazer recordações tão saborosas,e ao mesmo tempo fazendo o coração pulsar em disparada,que nos meus olhos flutuaram os estilhaços do tempo.

Abraço.

J.F. disse...

Marcos, que maravilhosa volta ao passado. Eu tenho e guardo com muito carinho um chaveiro com o Gotinha. Belíssimo relato histórico. É pena saber do desaparecimento dessa marca que tanto diz de nossa infância. Fico aguardando o relato sobre o Reporter Esso, o primeiro a dar as últimas.
Abração.

Cristiane disse...

Olá, Marcos tem selinho pra vc lá no meu blog!!!
Bjs...
Cris...

Jan disse...

OLÁ! HOJE PASSEEI PELO SEU BLOG "OLHANDO A PAISAGEM" ATENTAMENTE. GOSTEI! SOU DO TEMPO DO CASAL GASOLINO E DO TIGRÃO DA ESSO E É BOM RELEMBRAR.

JAN

Olho no olho disse...

Oi Marcos.
Gostei muito das recordações que você me trouxe com essa postagem. Também ganhei um posto igual ao seu e da mesma forma ganhei os chaveirinhos e bonequinhos. É isso, coisas que só quem viveu aqueles tempos sabem o quanto foram bons.
Parabéns pelas suas postagens que continuo acompanhando e me enchendo de saudade.
Um abraço.

Thaís Redher disse...

Como pode um jovem ter lembranças disso ?E de onde você tira tanta informação?deve ser tão DIFÍCIL CANSATIVO MESMO.Até a musiquinha eu lembro, to ate cantarolando,e é o tipo de musiquinha que gruda.
Até o nome eu acho que nem existe mais nos dicionários modernos CATREVAGENS,VOCÊ É DEMAIS!
Da alegria ver um jovem tão encantador.

As Tertulías disse...

Como sempre o migo simplesmnte arrasa e suas postagens... e me leva para uma viagem na qual me vejo de calcas curtas com um olhar cheio de inocencia... bos recordacoes... Tao bom vir aqui e m sentr assim, tao bem! Obrigado!!!!

Tânia Meneghelli disse...

Caríssimo Marcos,

Minha quilometragem deve estar bem inferior à sua, porque não lembro da gotinha não. kkkkkk!

Mentira, CLARO que lembro! Lembro muito bem do repórter Esso também, a trilha sonora ficou na história, né? É ouvir e associar imediatamente.

Como sempre, me deliciei nos seus achados. Ah, esqueci de citar o postinho de gasolina... Meus irmãos tinham também, muito legal isso! Adorei!

Beijoca!!!

//////////// disse...

Nossa muito interessante sou um grade fã desta marca q nos deixa quando tinha uns 3 anos ganhei tbm um posto ESSO so q maior q o da foto e até hj tenho as bombas q me fizeram montar um posto em escala parebens pelo post
se alguem quizer a foto do meu posto pod me pedir pelo e-mail achylles_jr@terra.com.br

Mariana Brito disse...

Olá, Marcos. Eu sou Mariana Brito, jornalista, e acabo de finalizar minha especialização em Artes Visuais pelo Senac. O motivo de eu ter vindo aqui foi para agradecer pelo material riquíssimo que você postou a respeito do Zé Gotinha, alias, o Esso Gubben! Esse material foi fundamental para defender o meu produto no TCC. Gostaria de informá-lo que utilizei seu material (devidamente referenciado, é claro), assim, você está agora circulando pelo meio acadêmico, bacana né? ( ou não, sei lá, rssrrsrs)

Gostaria de saber mais sobre suas pesquisas, como você consegue as informações, suas fontes, metodologias, pois pretendo continuar o meu estudo, e de repente, posso tê-lo como referência por mais tempo, rs.

Muito obrigada por resgatar o passado. Acho fundamental que as pessoas mais jovens conheçam e nunca se esqueçam dos elementos e valores que fizeram parte da vida de seus pais, avôs etc.

cRiPpLe_rOoStEr a.k.a. Kamikaze disse...

O mascote "gotinha" surgiu na época da II Guerra para incentivar o racionamento de gasolina na Europa, e recebeu adaptações em alguns países. Na Suíça aparecia de luvas, enquanto na Suécia usava esquis.

Já sobre o Arafat, o sujeito era sobrinho de um aliado do Hitler na época do mandato britânico da Palestina, nome dado pelo imperador romano Adriano aos reinos de Israel, Judéia e Samaria, o que hoje corresponde aos territórios de Israel (incluindo a Cisjordânia, que corresponde aos antigos reinos de Judéia e Samaria) e Jordânia. Durante o Yom Kippur (o mais importante feriado religioso judaico) de '73 uma coalisão islâmica atacou Israel, e o resultado foi uma humilhante derrota para os árabes, que usaram o preço do petróleo como forma de pressão política. Os preços do petróleo passaram a ter novamente alguma estabilidade quando países europeus começaram a receber levas de imigrantes muçulmanos, por exigência da Arábia Saudita.

Quanto à Esso, era uma referência não apenas na qualidade dos produtos (combustíveis, lubrificantes e outros insumos automotivos) como também em serviços, particularmente as lojas de conveniências. Ainda hoje em postos Shell que anteriormente ostentavam a bandeira Esso o atendimento me dá a impressão de ser mais qualificado.