.

.

sábado, 25 de setembro de 2010

"COLEÇÃO DISQUINHO" FAZ 50 ANOS - AQUELES COLORIDOS, LEMBROU?

Quem foi criança nas décadas de 60 e 70 há de se lembrar da “Coleção Disquinho” da gravadora Continental. Eram disquinhos de vinil, super compactos, super coloridos e com estorinhas super maneiras baseadas nos contos de fada, fábulas, cultura popular, cantigas de roda e festas típicas. A meninada se deixava seduzir por todas aquelas estórias, especialmente, com o tom colorido dos tais disquinhos. Tinha de toda cor: verde, amarelo, roxo, azul, vermelho, rosa, azul claro... Um charme! Essa coleção fez parte da fantasia de muitas gerações de brasileirinhos e brasileirinhas... A Coleção Disquinho, neste ano de 2010, está fazendo 50 anos. Meio século de encantamento e fantasia... Brinque meu bem?

Quando escutamos falar na Coleção Disquinho, o nome do compositor Braguinha (João de Barro) vem a reboque. É praticamente impossível dissociar uma coisa da outra. Pois foi ele quem idealizou e produziu “carinhosamente” essa coleção. As estorinhas e canções eram interpretadas por atores de rádio-teatro do Rio de Janeiro. E cada disquinho possuía uma ficha técnica de causar inveja... Já imaginaram um compacto simples com canções do Braguinha, arranjos de Radamés Gnatalli e personagens interpretados por vozes melodiosas dos atores/atrizes da era do rádio? Um verdadeiro tesouro da nossa infância!
A história da charmosa Coleção Disquinho possui dois momentos - bem - distintos. O primeiro momento foi em 1939, quando Braguinha lançou o primeiro disco infantil: “Branca de Neve e os Sete Anões”. E esta estória foi gravada com as vozes de nada mais, nada menos, que: Carlos Galhardo, Dalva de Oliveira e os Trovadores (É mole? Ou quer mais?). E tudo isso com a direção musical do já citado Radamés Gnatalli. Depois veio uma coletânea de cantigas de roda e outras tantas adaptações de estórias infantis: Chapeuzinho Vermelho, A Formiguinha e a Neve, História da Dona baratinha...  E os até então, “discões” infantis, fizeram o maior sucesso. Até porque naquela época não existia nada parecido pras crianças nesse gênero. Neste primeiro momento, as gravações foram feitas naqueles discos de 78 rpm, cor de breu, pesadões e totalmente quebráveis. 
No ano de 1960 acontece o segundo momento da Coleção Disquinho. É nessa fase que a coleção assume o formato de compacto simples e apresenta-se super colorido, encantando a meninada dos anos 60 até o iniciozinho dos anos 80. Nesse período, Braguinha dividiu espaço na produção dos disquinhos com as amigas Elza e Silvia Helena Fiúza. Foram ao todo 70 lançamentos, entre contos de fada, fábulas, estórias da Disney, cantigas de ninar, de roda, de natal, entre tantas outras... A narração das estórias era feita, na maioria das vezes, por Sonia Barreto e as personagens, falas e cantigas, ao longo da década, foram interpretadas pelo Teatrinho Disquinho. Essa coleção foi um verdadeiro marco de produção e de qualidade musical direcionada às crianças. Algo inovador e totalmente pioneiro para época. Foram mais de 5 milhões de cópias vendidas entre o início dos anos 60 e o início dos anos 80.
Geeente!!!! Não tem como não se emocionar ao ver essas capinhas antigas e esses disquinhos coloridos. É um verdadeiro resgate à memória, de nossas vivencias infantis. E como não é segredo para ninguém... Sou um saudosista assumido! E tudo nessa coleção tem sabor de saudade para mim.
A Coleção Disquinho também lançou clássicos da Disney. A Branca de Neve e os Sete Anões foi um deles. Aqui pra nós, nunca fui com a cara da Branca de Neve. Tomei antipatia por ela e pelos sete anões... Assim, de graça! Enquanto meu irmão gostava da “branquela” de neve, eu era apaixonado mesmo, era pela madrasta dela. Era mais divertida! Miacabaaaaaaava com a voz da personagem! Por mais que ela fosse à vilã da história, torcia por ela! Sempre gostei das mulheres “ditas” erradas mesmo... Acho que era o estilo, a voz e a postura da madrasta que me encantava, pode? Vai entender....
Ontem, eu e meu sobrinho de seis anos, tiramos o dia pra escutar as estorinhas dessa coleção. Escutamos: A Festa no Céu, O Burrinho Tró-ló-ló, o Macaquinho Travesso, a Galinha Ruiva, a História da Baratinha, a Moura Torta, o Soldadinho de Chumbo... E tantas outras. Confesso: Foi uma experiência incrível, tanto para mim, quanto para ele! E ao escutar novamente todas essas estorinhas, foi como voltar no tempo e sentir o cheiro da minha infância. Cheiro e sabor de um tempo que não volta mais... Mais o melhor de tudo mesmo, foi constatar que esses disquinhos podem ser passados para as gerações seguintes. Pelo menos o meu sobrinho adorou! (...e eu, por um momento, cheguei a pensar que ele fosse achar tudo isso meio bobo. Que nada!).
Era bastante comum nossas professoras - do grupo escolar - levarem aquelas vitrolinhas pra sala de aula e passar os tais disquinhos pra gente escutar. E tudo virava uma festa! Naquela época, a Coleção Disquinho, através de suas narrativas, era um excelente estímulo para a imaginação, pois as crianças precisavam criar todas as cenas na cabeça. Ah! Mas isso foi  numa linda época, onde o tempo corria mais devagar e nós costumavamos apreciar as coisas simples com a curiosidade própria da infância. E tudo com uma certa dose de inocência.
E o mais engraçado ainda foi perceber que “algumas estórias” possuem traços claros daquilo que chamamos hoje de politicamente incorreto. Nessa estória da Dona Galinha e seus Pintinhos, ela abandona seus ovinhos e vai linda pra “balada”. E ao retornar, descobre que os pintinhos já tinham nascido... E onde estava ela? Na balada meu bem! No mínimo seria processada por abandono das crias... E o caso do burrinho tró-ló-ló? Onde todos tiram sarro de seu rabinho... É um tremendo Bullyng para os dias atuais! Enfim, eu cresci escutando todas essas estórias e não me deixei influenciar negativamente. Vai ver naquela época havia mesmo, a determinada dose de inocência que, infelizmente, desapareceu com o correr dos anos. Então o que será que mudou na nossa sociedade de lá pra cá?
Entre o ano de 2001 e 2002,  a Warner Music  lançou uma Coleção remasterizada com 50 histórias da Coleção Disquinho. Não deu prá quem quiz meu bem! Em pouquíssimo tempo, logo após o lançamento, os mais de 10 mil CDs estavam esgotados. Mas agora, ao completar meio século de aniversário, espera-se que surja alguma novidade por parte das gravadoras. E que essa Coleção Disquinho, seja eterna na memória dos brasileirinhos e brasileirinas. E que venha o cinquentenário, o centenário... Enfim, Coleção Disquinho, uma obra prima da cultura infantil Brasileira.
No verso do disquinho vinha a relação das estorinhas já lançadas. 
Dic-4001 - A Formiguinha e A Neve (1960)
Dic-4002 - História da Baratinha (1960)
Dic-4003 - Festa no Céu (1960)
Dic-4004 - A Cigarra e a Formiga (1960)
Dic-4005 - O Soldadinho de Chumbo (1960)
Dic-4006 - O Chapeuzinho Vermelho (1960)
Dic-4007 - A Gata Borralheira (1960)
Dic-4008 - A Gata Borralheira (1960)
Dic-4009 - Pedro e O Lobo (1960)
Dic-4010 - Branca De Neve e Os 7 Anões (1960)
Dic-4011 - Branca De Neve e Os 7 Anões (1960)
Dic-4012 - Pinochio (1960)
Dic-4013 - O Patinho Feio (1960)
Dic-4014 - Cantigas De Roda 1 (1960)
Dic-4015 - Cantigas De Natal (1960)
Dic-4016 - Cantigas De Ninar (1960)
Dic-4017 - Os 3 Porquinhos (1961)
Dic-4018 - O Macaco e A Velha (1961)
Dic-4019 - O Rouxinol do Imperador (1961)
Dic-4020 - Os 4 Heróis (1961)
Dic-4021 - João e Maria (1961)
Dic-4022 - O Leão Cantor (1961)
Dic-4023 - A Bela Adormecida (1962)
Dic-4024 - Cantigas de Roda 2 (1962)
Dic-4025 - A Moura Torta (1962)
Dic-4026 - 6 Fábulas de Esopo (1962)
Dic-4027 - 2 Fábulas de La Fontaine (1963)
Dic-4028 - A Goela do Inferno (1963)
Dic-4029 - O Velho, O Garoto e O Burro (1963)
Dic-4030 - O Gato de Botas (1963)
Dic-4031 - Viva São João (1963)
Dic-4032 - Festival Infantil 1 (1963)
Dic-4033 - Festival Infantil 2 (1963)
Dic-4034 - A Bela e A Fera (1964)
Dic-4035 - Alice no País das Maravilhas (1964)
Dic-4036 - O Veado e A Onça (1964)
Dic-4037 - A Roupa Nova do Rei (1965)
Dic-4038 - O Lobo e Os 3 Cabritinhos / O Cabra-Cabrez (1966)
Dic-4039 - Ali Babá (1967)
Dic-4040 - Dona Galinha e Seus Pintinhos / O Burrinho Trólóló (1968)
Dic-4041 - História Do Brasil - Vol.1 (1968)
Dic-4042 - A Estrelinha Azul (1968)
Dic-4043 - O Macaquinho Travesso / A Galinha Ruiva (1968)
Dic-4044 - O Festival da Primavera (Aventuras Do Aracuã) (1969)
Dic-4045 - Os Coelhinhos da Páscoa (1970)
Dic-4046 - Dona Coelha e Seus Filhotes (1970)
Dic-4047 - As Aventuras do Saci-Pererê (1970)
Dic-4048 - O Leão e A Cobra (1970)
Dic-4049 - Picolé, O Bonequinho de Neve (1971)
Dic-4050 - O Violino e O Gato (1971)
Dic-4051 - A Boneca e O Palhacinho (1971)
Dic-4052 - História do Brasil - Vol.2 (1972)
Dic-4053 - A Flautinha Encantada (1972)
Dic-4054 - O Pintinho Quiquiriqui (1973)
Dic-4055 - O Pequeno Polegar (1974)
Dic-4056 - Briga no Galinheiro / O Macaquinho e O Totó (1974)
Dic-4057 - Era Uma Vez Uma Batatinha / As Empadinhas da Sinhá Marreca (1974)
Dic-4058 - O Bonequinho de Pão De Ló (1974)
Dic-4059 - Rapunzel (1975)
Dic-4060 - Como Nasceu Jesus (1975)
Dic-4061 - Hino Nacional / Hino á Bandeira Nacional (1975)
Dic-4062 - O Casamento Do Sapo (1976)
Dic-4063 - O Festival de Pipas (1976)
Dic-4064 - As Aventuras do Macaquinho / A Escolinha do Papagaio (1977)
Dic-4065 - O Bolo de Natal (1977)
Dic-4066 - Conto de Uma Noite de Natal (1977)
Dic-4067 - Os 3 Machados / Os 3 Desejos (1978)
Dic-4069 - Viveiro de Pássaros (1980)
Dic-4070 - Aladim e A Lâmpada Maravilhosa (1983)

36 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Genial.
Um dia destes alguem (que era amiga de amiga) postou no facebook uma frase que imediatamente reconheci como de uma das historinhas dos disquinhos e não resisti, acabei comentando...surgindo dai uma nova amizade.

Ana Cavalcantti disse...

Oiiiiiiiiiii !!!!!!!!!
Eu nasci em 76, então pelas datas que vc passa não seria para eu ter lembranças ...maaaaaaaaaas eu tinha uma amarelão desses rs..não sei se vei da minha irmã que era mais velha ou o que...queria lembrar a historinha dele mas não consigo !!!!!!!!!!! :(
Você disse que é saudosista , e tem como nã ser ? As coisa naquela época, até os anos 80 tinham uma magia que hoje não existe mais com tanta "modernidade" !!!
Beijos e boa semana pra vc !!

Paulinho Patriota disse...

Dhotta querido,

Outro dia estava comentando com Aninha Vasconcelos sobre os disquinhos multicores,cujo encantamento ainda está sedimentado nas profundezas do meu ser.

Aliás,amigo,era sempre sua tia,Dona Maria Souza,que os punha na radiola,no salão de recreio do Teresa Torres,e a gente a tinha como uma fada mais fantástica ainda que as das estórias dis Irmãos Grimm.

Abração.

angela disse...

Você sempre me transporta para lugares tão looonge. Gostava muito de ouvir e principalmente de ler todas essas historias. Meu sogro tinha alguns daqueles grandões pretos e os tocava para minha filha quando ela era pequena e ela ouvia maravilhada e pedia bis e bis...sabe como é criança...rs.
Tomara que eles lancem novamente CD coloridinhos.
beijos

Dilberto L. Rosa disse...

"Bons tempos que não voltam mais"... Realmente, meu caro (que visita, mas não comenta, ré, ré), esta Coleção é mágica e atemporal, de tão bem feita! Eu sou da geração Infância Anos 80, mas ainda peguei "Festa no Céu" (genial), "João e Maria" (tinha calfrios com o lance dos dedinhos...) e "Os 3 Porquinhos" ("Quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau...?"), acho que do meu irmão, e alguns desses disquinhos ainda se encontram em algum lugar empoeirado da casa da minha mãe, creio eu! Esperando minha filha crescer um pouquinho e a coleção completa baixar de preço para comprar todos! Excelente postagem! Abração!

Lusa Vilar disse...

Quando os disquinhos apareceram eu já estava interessada em outras coisas ... rss Meus filhos é que desfrutaram dessas maravilhas. Se Leta,minha irmã, tivesse comprado o da Branca de Neve teria evitado o cansaço de repetir a história dela para Rosângela (Tinga), sua filha.
Conta ela que, certa vez, Tinga antes de dormir a fez repetir essa história umas setenta vezes. Lá paras as tantas, quando a exaustão tomou conta de Leta, Tinga pediu para ela contar novamente. Ela, cansada e morta de sono, recomeçou a história assim: Era uma vez, Branca de Neve, aquela rapa... kkkk
O resto eu te conto aqui, em Itapetim, quando vieres para as eleições. Adorei relembrar os disquinhos dos meus filhos.
Beijos, escritor, vai pensando no teu livro.

Tânia Meneghelli disse...

Gente, mas que delícia rever isso! Olha, esses disquinhos fazem parte das lembranças mais doces que tenho da minha infância. Na verdade não os tinha em casa, eram um pouco caros pra nossa realidade. Mas curtia demais na casa de uma prima, que tinha uma coleção enorme. Caramba, que viagem deliciosa no tempo você me proporcionou agora!...

Beijoca!

Giardia disse...

Legal! gostei mto!!

Linda Simões disse...

Ai,que saudade!

Eu não tinha nenhum desses disquinhos,mas D.Socorro Patriota tinha uma coleção...Então ela colocava e ninguém dava um pio, nem respirava de tanta expectativa.Morria de pena de Dom Ratão, que caía na panela do feijão(na história de D. Baratinha,que tinha dinheiro na caixinha e amor no coração... hehe)
Dhotta,ainda posso ouvir os sons,os efeitos especiais que havia nessas historinhas...Em Branca de Neve,por exemplo,quando os sete anões chegavam,eu tinha medo dos sons que faziam! rsrsrs

Quase que morria de rir agora,lendo e imaginando Leta arretada já,contando mil vezes a mesma história a Tinga(Gaby fazia a mesma coisa comigo...)

Beijo grande, meu querido

Obrigada por mais essa recordação.

Paulo Braccini disse...

Menino vc me encanta com estas lembranças ... coisa ímpar na blogsville ... estou aqui a sentir o sabor do pirulito GOSTOSÃO, meu fiel companheiro qdo estes disquinhos rodavam na radiola ... Saudades ...

bjux

;-)

Stivie Sena disse...

antes de mais nada obrigado pelo teu comentário no meu blog,espero que tenha gostado e volte mais vezes. Quanto a esse post.. é a 1 vez que ouço falar nesses discos,e eu sou 'garotão'.. seria dificil conhecer mesmo. Os únicos discos que eu tenho em casa são os de rock..led,beatles etc.. mas legal o post,belo blog :D

Pati Araújo disse...

Oi Dhotta,

Menino, só vc mesmo!
Aqui em casa eu não lembro de ter visto disquinhos, tinha mesmo era disco de Luís Gonzaga, que era do meu pai 'rs'
Mas, Lua herdou três discões do pai dela, lááá dos idos de 1982. Estamos aqui, eu e Lua, conferindo as estórias e músicas. Tem de tudo: O burrinho tró-ló-ló, D. Galinha e seus pintinhos, A bela adormecida... e as músicas, um caso à parte: Pai Francisco, Na loja do mestre André, O picapau comilão...
Amo o seu blog e os seus textos/recordações por tudo, mas principalmente por me fazer olhar diferente para as catrevagens aqui de casa, estou valorizando mais ainda. Afinal, recordar é trazer de novo ao coração.

Muitos beijos pra vc!
Pati :)

Dilberto L. Rosa disse...

Ô, Dhotta: já deu tempo de ouvir toda a coleção Disquinho e você, nada de nos brindar como novo 'post'?! O que é isso?! Vamos lá, atualize esta catrevagem logo! Abraço!

Tertúlias... disse...

Esta foi DEMAIS!!!!!!!!!!!! Eu tive todos... e cantava todas as "cantigas" junto... Obrigado, esta memória me emocionou. MUITO!
Bj
Ricardo

Renato Hemesath disse...

Que bárbaro! teu blog é uma espécie de dossiê no que diz respeito as memórias! tempos que não vinha aqui...

Oh, não me lembro desses disquinhos!

Bom, as vezes me pergunto se daqui uns 20 anos serão feitos trabalhos tão ricos como o teu, que nos aproximam do que foi e continua sendo essencial.

Abraços

Claudinha ੴ disse...

Menino! Você me levou para uma viagem deliciosa aos Natais na casa de meu avô materno... Ele nos deu a coleção e depois que morreu ficou comigo, porque eu dava valor, segundo ele. Quantas tardes ouvindo musiquinhas na radiola do meu pai ou do meu avô. Quantos momentos felizes. Eu fiz 46 anos, eles 50... Obrigada por me trazer lembranças tão doces!
Beijo procê!

Malu disse...

Nossa !
Adorei , me fez voltar aos tempos
de menina ... :)


Bjo.

Anônimo disse...

Vamos todos estudar na escola do papagaio....
ou: é este o seu machado, lenhador? não, não é este, meu senhor....
gostava....
e um dia, no avião, a tam tava tocando esta história, pense que foi um voo feliz e saudoso!
Cynthia

AnaLu Medeiros disse...

Caramba, o Cabra-Cabrez é de 1966? :O Tô em choque! Eu ouvia quando era criança, e sou de 88! Era azul...

Eu sooou o Cabra Cabrez! Vai-te embora, Coelhinho, que de um eu faço três!

Marco disse...

Tenho até hoje um compacto colorido desses. Foi p único que sobrou.
Eita saudades...
Carpe diem.

mlnf disse...

Eu ainda tenho esses disquinhos!!! Ouvi muito quando criança... Adora a Formiguinha e a Neve, a Roupa Nova do Rei. ah, depois o Silvio Santos gravou também algumas historinhas infantis no mesmo formato... Saudades dessa época!!!

mlnf disse...

Eu ainda tenho esses disquinhos!!! Ouvi muito quando criança... Adora a Formiguinha e a Neve, a Roupa Nova do Rei. ah, depois o Silvio Santos gravou também algumas historinhas infantis no mesmo formato... Saudades dessa época!!!

mlnf disse...

Eu ainda tenho esses disquinhos!!! Ouvi muito quando criança... Adora a Formiguinha e a Neve, a Roupa Nova do Rei. ah, depois o Silvio Santos gravou também algumas historinhas infantis no mesmo formato... Saudades dessa época!!!

claudia oliveira disse...

Que legal!!! Viajei no tempo...bom era aquele tempo.Ao recordar despertamos sentimentos adormecidos na saudade...Fiquei emocionada ao rever vários dos "disquinhos" que tive quado criança. Adorava ouvir cada um deles. Os que eu mais gostava eram: "A Historia da Dona Baratinha", " O Macaco e a Velha" e " O Patinho Feio". Ouvia e gosta tanto que sei contar varias histórias até hoje,exatamente como no disquinho, meus alunos adoram.Há alunos que já cresceram, mas... ainda lembram e perguntam se continuo contando a história da Dona Baratinha. É a preferida de todos, pois sempre que conto dramatizo.É muito bom ver a emoção brotar nas expressões de seus rostinhos...e melhor ainda e descobrir que cresceram e ainda lembram até da musiquinha.
Possuo alguns CD's desta coleção , mas nos últimos tempos tenho dificuldade para encontrar os que estão faltando para completar a coleção.
Você está de parabéns por seu blog e a maneira como trata de um assunto que hoje em dia poucas pessoas valorizam ou prestam atenção.
Um beijinho carinhoso!!!!

claudia oliveira disse...

Que legal!!! Viajei no tempo...bom era aquele tempo.Ao recordar despertamos sentimentos adormecidos na saudade...Fiquei emocionada ao rever vários dos "disquinhos" que tive quado criança. Adorava ouvir cada um deles. Os que eu mais gostava eram: "A Historia da Dona Baratinha", " O Macaco e a Velha" e " O Patinho Feio". Ouvia e gosta tanto que sei contar varias histórias até hoje,exatamente como no disquinho, meus alunos adoram.Há alunos que já cresceram, mas... ainda lembram e perguntam se continuo contando a história da Dona Baratinha. É a preferida de todos, pois sempre que conto dramatizo.É muito bom ver a emoção brotar nas expressões de seus rostinhos...e melhor ainda e descobrir que cresceram e ainda lembram até da musiquinha.
Possuo alguns CD's desta coleção , mas nos últimos tempos tenho dificuldade para encontrar os que estão faltando para completar a coleção.
Você está de parabéns por seu blog e a maneira como trata de um assunto que hoje em dia poucas pessoas valorizam ou prestam atenção.
Um beijinho carinhoso!!!!

Moonlight & Star disse...

Minha mae comprou a colecao completa do "Mundo Infinitamente Pequeno" que conta as viagens da hemacia e o leucocito pelo corpo humano. Tudo muito bem ilustrado, e os disquinhos coloridissimos. Lembro me de ter escutado e lido muitas vezes. Eh uma das colecoes da infancia que mais gostei.

Anônimo disse...

Muitissimo obrigado!! Voltei no tempo pois tinha 9 anos quando ganhei o meu primeiro disquinho em 1960!!
Fico emocionado quando escuto o Casamento da Dona Brartinha pois me lembro da minha familia e do Grajau no Rio de Janeiro. Fui aluno da Elza Fiuza nos anos 50 na Toca dos Coelhinhos e lea me colocou como maestro da nossa "orquestra" na nossa formatura em 1956.. Tenho muitas boas lembrancas dela...
Obrigado!!
Carlos Ferreira

Adelaide Moura disse...

Olá, acompanho há muito tempo e parabenizo por seu trabalho sempre caprichado, gosto muito de ler seus textos. Tenho, no entanto, uma dúvida: tenho visto esta coleção disquinho para baixar completa em diversos blogs e sites. Este download é ilegal ou esta coleção realmente já é de domínio público? Muito obrigada, fico grata se esclarecer aqui, volto para ler a resposta, não uso e-mail e não tenho site, tenho dificuldades ainda com a internet, muito obrigada! Adelaide Moura

MARCOS DHOTTA disse...

Adelaide, eu não sei te afirmar se já se tornou um domínio público como tantas coleções de discos de outrora. Mas eu acredito que sim... Quando muitos sites começam a ofertar com essa facilidade é porque as punições estão "looooonge" de acontecer. E se tratando de música, eu quero acreditar que sim. Um abraço e adorei sua visita, tá.

Anônimo disse...

Estou trabalhando o repertório de seus inúmeros sucessos em minha escola com alunos de 1° e 2° anos, os alunos amam as suas interpretações de histórias infantis, gostaria que enviasse-nos algumas novidades.

Obrigada!

Luar disse...

Sou portuguesa, mas tive alguns desses discos, quando fala na "a formiguinha e a neve" fez-me voltar a criança.
Adorei o Blog, parabéns.

Jó Benedini disse...

Por gentileza! Alguém lembra nessa coleção uma história do Coelho e a onça? Tinha esse disquinho, mas não lembro bem a música. Gostava demais.

Jó Benedini disse...

Por gentileza! Alguém lembra se nessa coleção tinha: a história do Coelho e a Onça? Eu tinha um disquinho com essa história e estou procurando a tempos.

Jó Benedini disse...

Por gentileza! Alguém lembra se nessa coleção tinha: a história do Coelho e a Onça? Eu tinha um disquinho com essa história e estou procurando a tempos.

Anônimo disse...

Por gentileza! Alguém lembra se nessa coleção tinha: a história do Coelho e a Onça? Eu tinha um disquinho com essa história e estou procurando a tempos.

Sam samegui Shiraishi disse...

Postamos sobre livros infantis em audio hoje e indicamos seu post
http://www.maecomfilhos.blog.br/2017/03/audiolivros.html